Curiosidades

Saiba tudo sobre as cervejas trapistas

cervejas trapistas

Quando Benjamin Franklin disse que “cerveja é a prova de que Deus nos ama”, ele muito provavelmente não estava a se referir especificamente às cervejas trapistas, mas bem que poderia. Estas cervejas feitas por monges que dedicam suas vidas ao lema “ora et labora”, ou seja, às orações e ao trabalho (que inclui fazer cerveja!), estão frequentemente relacionadas entre as melhores do mundo.

Esta ligação íntima entre a cerveja e a religião teve início na Idade Média, quando a água disponível para consumo era tão contaminada que até mesmo as crianças bebiam cerveja porque era mais seguro (pois a água era fervida para produzir a cerveja, e a presença do álcool e CO2 ajudava a proteger contra a proliferação de microorganismos patogênicos)!

Por ser considerada uma bebida muito nutritiva, a cerveja fazia parte da alimentação dos monges, especialmente nos períodos de jejum. E foram justamente estes monges que, pela sua dedicação ao trabalho e por serem alfabetizados, se tornaram provavelmente os primeiros pesquisadores cervejeiros. 

Actualmente, existem muito mosteiros que não são da Ordem Trapista e produzem cerveja (essas são chamadas “cervejas de abadia”), assim como existem muitos mosteiros Trapistas que não produzem cerveja (mas produzem outros produtos, como pães, queijos e licores, por exemplo). Na verdade, até bem pouco tempo atrás, eram apenas sete os mosteiros no mundo que produziam cervejas: Um – La Trappe – na Holanda e outros seis – La Trappe – Na Bélgica). 

cervejas trapistas
Foto: Instagram oficial da marca.

Recentemente um mosteiro na Áustria – Engelszell – entrou para essa lista, e há mais um na França, o Mont des Cats, que já está tentando há algum tempo e talvez se junte a eles em breve. Isso porque, para receber o selo da Associação Trapista Internacional (que garante a origem e a qualidade do produto – funciona mais ou menos como a denominação “Champagne”, exclusiva para os espumantes que são provenientes da região de Champagne na França e produzidos segundo o método tradicional). 

Existem alguns requisitos que a cerveja deve atender: ser produzida dentro dos mosteiros pelos próprios monges ou sob supervisão deles, e o lucro proveniente da sua venda deve ser aplicado majoritariamente com fins sociais.

Enfim, vamos ao que interessa: as cervejas trapistas! Várias dessas cervejas são facilmente encontradas, mas algumas requerem uma cerveja peregrinação: só estão disponíveis nos próprios mosteiros ou arredores.

Os mosteiros Trappistas

Achel

cervejas trapistas

Abadia de Notre Dame de Saint-Benôit Achelse Kluis

Cervejas em garrafa (outras são servidas apenas no mosteiro):

  • 8 Blond (Tripel bastante suave)
  • 8 Bruin (Dubbel)

Chimay

Abadia de Notre Dame de Scourmont

Cervejas:

  • Rouge (Dubbel)
  • Blanche (Tripel)
  • Blue (Quadrupel)

Engelszell

Abadia de Notre Dame de la Cella Angelorum

Cervejas (as mais novas cervejas trapistas):

  • Benno (Saison)
  • Gregorius (Belgian Strong Dark Ale)

La Trappe

cervejas trapistas

Abadia de Onze Lieve Vrow van Koningshoeven

Cervejas: Dubbel, Tripel, Quadrupel, Blond, Witte, Bockbie e Isid’or, uma Strong Golden Ale lançada em 2009 em comemoração ao 125º aniversário da cervejaria.

Orval

cervejas trapistas

Abadia de Notre-Dame d’Orval

Cerveja:

  • Orval

Rochefort

cervejas trapistas

Abadia de Notre Dame de Saint-Remy

Cervejas: 

  • Rochefort 6 (Dubbel)
  • Rochefort 8 (Belgian Strong Dark Ale)
  • Rochefort 10 (Quadrupel)

Westmalle

cervejas trapistas

Abadia Trapista de Westmalle

Cervejas: 

  • Dubbel
  • Tripel

Westvleteren

Abadia de Saint-Sixtus

Cervejas (precisam ser reservadas com antecedência e em quantidades limitadas, e não podem ser revendidas:

  • Tampa Verde Blond (Blond)
  • Tampa Azul 8 (Dubbel)
  • Tampa Dourada 12 (Quadrupel)

Subscreva-te agora na Hops Club e tenhas todo mês uma experiência cervejeira diferente. Confira.

One thought on “Saiba tudo sobre as cervejas trapistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.