Curiosidades

Tudo sobre a Escola Belga de cervejas

escola belga

“Pequeno para quem vê, gigante para quem ama cervejas”

Do ponto de vista cervejeiro, assim poderia ser resumida a Bélgica: um país minúsculo, que é considerado por muitos o paraíso da cerveja. E como um título assim tão importante não vem de graça, vamos falar um pouco sobre algumas características da cultura cervejeira e a Escola Belga.

Uma dessas características é a importância dos mosteiros no desenvolvimento e preservação de receitas desde a Idade Média, já que os religiosos eram os únicos que recebiam uma educação formal naquela época, como já vimos por aqui quando falamos de cervejas trapistas. Esse vínculo tão forte com os mosteiros se deve aos monges perseguidos durante a Revolução Francesa terem se instalado na Bélgica e fundado diversos mosteiros, e muitos consideram este justamente o ponto inicial da Escola Cervejeira Belga.

Outra característica, a que mais diferencia a Escola Belga das demais, é quanto à liberdade criativa dos cervejeiros belgas: na Bélgica, tudo pode ser ingrediente para fazer cerveja! Assim, por não estarem sujeitos a leis como a Lei da Pureza Alemã, os cervejeiros podem temperar suas cervejas com frutas, cascas, sementes, condimentos, criando uma imensa variedade de estilos, ainda que sejam basicamente cervejas da família Ale. E essa liberdade e diversidade não se manifestam apenas nos variados ingredientes, mas também nas diversas formas de produzir cerveja. A Bélgica é famosa pela produção de estilos como Bière Brut, refermentadas pelo método champenoise, famoso método tradicional de produção de Champagne, e Lambics, que sofrem fermentação espontânea por microrganismos selvagens, criando aromas e sabores únicos. 

escola belga

Além disso, os belgas dedicam às suas cervejas uma devoção semelhante à dos franceses em relação aos seus vinhos: lá a bebida é realmente levada a sério e tratada com muito respeito, chegando ao ponto de muitos bares se negarem a servir alguma cerveja da montra caso o copo adequado não esteja disponível.

Por fim, falar sobre os estilos Belgas é um pouco complicado, não apenas pela imensa variedade, mas também porque muitas cervejas belgas sequer se encaixam em algum estilo já determinado em guias de estilos, e por isso muitas vezes acabam sendo classificadas como Specialty Beers!

Além dos estilos que já mencionei e daqueles provenientes dos mosteiros e abadias, como Belgian Blond Ale, Dubbel, Tripel, Golden Strong Ale e Dark Strong Ale, outros importantes estilos belgas são:

  • Witbier, refrescantes e temperadas com coentro e casca de laranja;
  • Belgian Pale Ale, leves e de fácil degustação;
  • Saison, bastante carbonatadas;

As cervejas ácidas, que podem ter adição de frutas ou podem ser feitas a partir de um blend de cervejas mais jovens com outras mais velhas, como as Lambics, Gueuzes, Flanders Red Ale e Brown Ale.

Subscreve agora na Hops Club para uma experiência cervejeira diferente todos os meses. Confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.